CMVM
skip
Idioma
pageBackground
Estatísticas

Estatísticas Periódicas


Indicadores mensais dos fundos de investimento mobiliário


Maio de 2022



Em maio de 2022, o valor sob gestão dos organismos de investimento coletivo em valores mobiliários (OICVM) totalizou 17.765,1 milhões de euros, menos 313,5 milhões (1,7%) do que em abril. Nos fundos de investimento alternativo (FIA), o valor mensal sob gestão subiu 0,5% para 321,3 milhões de euros.

O valor das aplicações em ações subiu 10,7%  nas de emitentes nacionais e caiu 0,6% nas de emitentes estrangeiros, em comparação com o mês anterior. No que respeita à dívida pública, o valor das aplicações decresceu 5,1% na nacional e 7,2% na estrangeira. O valor aplicado em obrigações subiu 6,7% nas de emitentes nacionais e decresceu 0,3% nas de emitentes estrangeiros.

A Sonae foi o título com maior peso nas carteiras dos fundos, representando 10,9% do total investido, com um crescimento mensal de 9,2%. Seguiram-se a Jerónimo Martins, cujo valor nas carteiras dos fundos teve um crescimento mensal de 5,5% e a Altri, cujo valor aumentou 28,7% face a abril.

No que respeita ao investimento em títulos da União Europeia, os mais representativos nas carteiras dos fundos de investimento foram a LVMH, a Siemens e a Inditex. Fora da União Europeia destacaram-se a  Johnson&Johnson, a Coca Cola e a Visa.

A Alemanha foi o principal destino de investimento dos OICVM em maio, ao absorver 21,7% do total das aplicações dos fundos, seguida dos Estados Unidos (17,5%) e de França (9,9%). Portugal absorveu 4,9% do investimento.

As sociedades gestoras com as maiores quotas de mercado foram a Caixa Gestão de Ativos (35,7%), a IM Gestão de Ativos (21,2%) e a BPI Gestão de Ativos (17,1%).

Em maio houve a constituição de cinco fundos: o "BPI Impacto Clima – Ações Fundo de Investimento Aberto de Ações", o "BPI Impacto Clima – Obrigações, Fundo de Investimento Aberto de Obrigações",  o "BPI Impacto Clima – Moderado, Fundo de Investimento Aberto Flexível", o "BPI Impacto Clima – Dinâmico, Fundo de Investimento Aberto Flexível" e o "BPI Impacto Clima – Agressivo, Fundo de Investimento Aberto Flexível", geridos pelo BPI Gestão de Ativos.