CMVM
skip
Idioma
pageBackground
Comunicados

Intervenção de José Miguel Almeida, administrador da CMVM, no Encontro de Aveiro do Roteiro para o Financiamento em Mercado



Encontro de Aveiro do Roteiro para o Financiamento em Mercado

Centro de Congressos, Aveiro

28 de setembro de 2022

 

José Miguel de Almeida

Vogal do Conselho de Administração da CMVM

 

 

Caros empresários,

Caros Colegas,

Minhas Senhoras e meus Senhores,

Gostaria de começar por agradecer a vossa disponibilidade e por terem aceitado o nosso convite.

É com imenso gosto que estamos aqui hoje, num edifício icónico desta cidade, que já foi fábrica, e que, por isso, simboliza bem o propósito da CMVM e dos seus parceiros neste Encontro: apoiar a evolução do vosso negócio, criando capacidade de transformação e adaptação a cada contexto, numa perspetiva de sustentabilidade e de competitividade.  

É este o objetivo do Roteiro para o Financiamento em Mercado que é hoje inaugurado em Aveiro, região marcada por um tecido empresarial resiliente e de grande dinamismo, com sólidos exemplos de empreendedorismo, criatividade e ambição. É assim com naturalidade que nesta inauguração do Roteiro tenhamos reunido um conjunto de empresas que se destacam pelo seu crescimento relevante nos últimos anos e por um potencial interesse por dar um novo impulso à sua estrutura de financiamento.

Hoje queremos dar a conhecer melhor o mercado de capitais, desmistificando as suas regras e processos, para que possa fazer parte integrante da resposta aos desafios que as vossas empresas enfrentam, especialmente num momento de incerteza e de mudança rápida do contexto geoeconómico. Este contexto e a transição para uma economia sustentável colocam grandes desafios às empresas que o mercado de capitais pode ajudar a encarar com maior versatilidade e robustez.

A propósito deste edifício não posso deixar de agradecer o apoio da Câmara Municipal de Aveiro ao ceder prontamente este espaço tão apropriado e tão bem localizado – o cenário certo para este Encontro.

Em segundo lugar, damos um passo que tem uma dimensão espacial real, pois viemos ao vosso encontro, permitindo-nos ouvir, em primeira mão, as aspirações, mas também os desafios com que se confrontam. Este movimento reflete precisamente a lógica de serviço do mercado de capitais - ele existe para servir as necessidades de financiamento das empresas, ao serviço da criação de riqueza e promoção do bem-estar geral, dando também aos investidores a oportunidade de beneficiar dessa criação de riqueza. Para ilustrar esta relação, vamos partilhar convosco histórias reais de crescimento, transformação, superação de obstáculos e adaptação empresarial nas quais o mercado de capitais teve, tem e terá um papel importante.

Nestes esforços, não poderíamos deixar de contar com tão importantes parceiros que, com muito entusiamo abraçaram esta nossa iniciativa.

Olhando para o futuro, continuaremos a querer assumir uma atitude mais dinâmica e proativa na relação com o tecido empresarial nacional, lançando hoje um conjunto de iniciativas que designámos Via Mercado, com a criação de um canal de comunicação permanente e dinâmico - o Via Mercado – que tem como missão esclarecer dúvidas das empresas sobre o acesso ao mercado. O Via Mercado está hoje connosco aqui em Aveiro.

O Via Mercado pretende fomentar o crescimento, robustecimento financeiro e notoriedade das empresas, bem como o desenvolvimento do mercado e da economia nacional e tem hoje um dos seus momentos mais relevantes. Estamos convencidos que é importante mostrar que o mercado de capitais pode ser um aliado relevante no caminho da profissionalização, da produtividade, do crescimento e da internacionalização das vossas empresas. E iremos persistir neste esforço, ajustando e adaptando a abordagem para melhor ir ao encontro das necessidades das empresas.

Por isso, hoje agradeço a presença dos que aceitaram este desafio. Poderão ver que o mercado de capitais pode ser a melhor opção, quer como alternativa quer como complemento a outras fontes de financiamento, moldável à situação de cada empresa, do respetivo contexto económico e financeiro e das vossas visões e ambições.

Além de demonstrar a importância do mercado de capitais, através dos testemunhos de empresas que já percorreram o caminho do financiamento em mercado, mostraremos ainda alternativas possíveis de acesso ao mercado de capitais, ou seja, as soluções para vários planos de negócios e diferentes estádios de desenvolvimento das empresas, mostrando que é possível uma abordagem gradual e progressiva adaptada às características especificas de cada uma.

Cada empresas tem as suas necessidades, ritmo de crescimento, visão e ambição. O mercado de capitais permite uma graduação de esforço como poderemos concluir dos testemunhos das diversas empresas que, como vós, nos deram a honra de participar neste Encontro e a quem muito agradeço terem aceitado o nosso convite.

A mensagem hoje é clara: o mercado de capitais não serve só para empresas de grande dimensão.

Pelo contrário, oferece múltiplas soluções de financiamento que são adequadas para PMEs. Exemplo disso é o dinamismo hoje verificado em diversos mercados europeus, de que destaco os nórdicos, precisamente pela dimensão das empresas que a eles recorrem pela primeira vez e que aí encontram as soluções de financiamento moldadas aos seus objetivos e ambição. 

Os representantes das empresas irão falar-nos sobre a sua relação com o mercado de capitais. Esta relação concretizou-se quer por via da emissão de obrigações, incluindo aquelas que integram elementos de sustentabilidade ambiental ou social, quer pela emissão de ações para reforço de capitais próprios, e admissão à negociação em mercado regulamentado ou em sistemas de negociação multilateral. Estes últimos com regras menos exigentes e consequente menor esforço de adaptação para novos emitentes.  

Alguns falarão ainda do investimento feito, nas suas empresas, por sociedades de capital de risco, a razão desta escolha e como essa opção contribuiu de forma relevante para um nível superior de crescimento. Teremos também a presença das próprias sociedades de capital de risco e de outros investidores institucionais, testemunhando o seu interesse por projetos inovadores.

Além das informações e entusiasmo que hoje iremos partilhar, têm ainda à vossa disposição o Guia do Emitente, lançado recentemente a 13 de setembro. Trata-se de uma ferramenta online (guiadoemitente.pt) que mostra as opções e os procedimentos a seguir no acesso ao mercado de capitais por parte das empresas. (Têm um QR Code na brochura que encontram no vosso assento com a ligação a este Guia).

O Guia foi escrito a pensar nas empresas, com o apoio de várias entidades do mercado de capitais, incluindo os contributos de algumas empresas que já passaram pelo percurso do mercado de capitais. Queremos que seja uma ferramenta verdadeiramente útil e, por isso, aí encontram informação muito relevante sobre custos e vantagens de uma estratégia que envolva o mercado de capitais. Convido-vos a lerem este guia e a darem-nos o vosso feedback, no próprio site ou junto do Via Mercado que está hoje connosco e disponível para responder a questões que tenham. O Guia do Emitente ganha maior sentido na medida em que possa contribuir para a tomada de decisões mais ponderadas e mais adequadas aos vossos objetivos. Sendo assim, é uma iniciativa que cujo sucesso dependerá, em muito, da vossa avaliação e, em última análise da sua utilidade prática.

Hoje, queremos ainda deixar-vos os contactos das entidades que vos podem apoiar neste percurso de acesso ao mercado de capitais.

Encontram, também, no Guia do Emitente a referência ao tipo de agentes essenciais no acesso ao mercado, como por exemplo consultores financeiros e jurídicos, e alguns critérios que esperamos vos possam ser úteis no momento da respetiva seleção. Presencialmente, temos alguns representantes de sociedades de advogados e de intermediários financeiros que estiveram envolvidos recentemente em operações de mercado de capitais, a quem agradeço a disponibilidade para este Encontro e para conversar convosco, caso nisso tenham interesse, também na sala ao lado.

Resta-me sublinhar os dois momentos principais da nossa agenda.

Em primeiro lugar teremos as sessões de partilha, animadas pelos nossos parceiros - o IAPMEI– Agência para a Competitividade e Inovação e várias associações empresariais – Associação Industrial Portuguesa (AIP), Associação Portuguesa de Analistas Financeiros (APAF), Associação Portuguesa de Capital de Risco (APCRI), Associação Portuguesa de Fundos de Investimento, Pensões e Patrimónios (APFIPP), Associação Business Roundtable Portugal e COTEC Portugal, e ainda a Euronext. Falaremos ainda de governance, um aspeto essencial no crescimento de qualquer empresa e de outras soluções de financiamento.

Em segundo lugar, teremos oportunidade de trocarmos impressões sobre estes temas, num momento de networking, na sala ao lado, onde encontram representantes das instituições que se associaram a este Encontro.

Antes de concluir, quero deixar um agradecimento por todo o apoio dos parceiros, indispensável, bem como à equipa da CMVM que se tem dedicado a este projeto.

Dado o leque variado de empresas aqui presentes, que espelha a tradição e também a inovação, desejo que este Encontro nos enriqueça a todos e que marque o início de uma nova era de relacionamento entre o mercado de capitais, as empresas e os investidores que procuram na economia nacional, respetivamente, soluções de financiamento e investimento.

Se hoje ou num futuro próximo quiserem ponderar a possibilidade de recorrer ao mercado de capitais para financiarem as vossas empresas e a vossa atividade económica, gostaria de assegurar que vos apoiaremos na obtenção de informação e no esclarecimento de questões; também gostaria de vos garantir que a CMVM continuará permanentemente disponível no momento em que realizem operações de acesso ao mercado e nele permaneçam enquanto novos emitentes. Podem contar connosco.

Muito obrigado.