CMVM
skip
Idioma
pageBackground
Comunicados

CMVM celebra protocolo com universidades para a realização de estudos sobre o investidor


protocolo1a.jpg protocolo2.jpg

7 de outubro 2019  

A CMVM celebrou um protocolo com oito instituições de ensino superior, para o desenvolvimento de estudos de caracterização do investidor em instrumentos financeiros, em Portugal.

Esta cooperação alargada foi formalizada no dia 3 de outubro, no âmbito da Semana Mundial do Investidor, entre a CMVM e a Universidade do Algarve, Universidade Católica Portuguesa, Universidade de Évora, ISEG, Universidade do Minho, Universidade de Trás-os-Montes e Alto Douro, Faculdade de Economia da Universidade do Porto e a Porto Business School. Apesar de não estarem presentes na assinatura do protocolo, este será igualmente celebrado com a Universidade de Aveiro, Universidade de Coimbra, Universidade da Beira Interior, ISCTE, Nova School of Business and Economics e Universidade da Madeira. Assim, este protocolo de cooperação incluirá 14 instituições de ensino superior.

Os estudos a desenvolver no âmbito deste protocolo visam o aprofundamento do conhecimento dos investidores, sobre os instrumentos financeiros que estes detêm, os processos de tomada de decisão e os enviesamentos comportamentais, o nível de literacia financeira e as características sociodemográficas, entre outros.

Para a CMVM, o conhecimento aprofundado do perfil, conhecimento, comportamentos, atitudes e decisões dos investidores, atuais e potenciais, no mercado de valores mobiliários em Portugal, constituiu um instrumento útil para a definição de iniciativas e medidas de educação financeira na proteção dos investidores.

Na mesma sessão, após a assinatura do protocolo, decorreu um workshop em que foram apresentados e discutidos dois trabalhos sobre atitudes e comportamentos dos investidores, concretamente “Financial disclosure, risk perception and investment choice - Evidence from a consumer testing exercise” e “Education, financial knowledge and numerical skills: do they help avoiding unnecessary trading fees?”.